A maior corrida do mundo: para a Caixa Federal, em busca do PIS e PASEP.

Essa é a maior corrida do mundo, com 23 milhões de participantes!

PIS-PASEP-pagamento-abono-corrida-blog-2014-carlo manfroi-salario

Depois de participar de tantas corridas do Circuito Caixa, chegou a hora de muita gente correr atrás do dindin. Em 2014 o Governo Federal deve pagar quase R$ 17 bilhões em abono para mais de 23 milhões de trabalhadores. O benefício é pago todo ano e funciona como um 14º salário. O valor atual é de R$ 724. Para receber o abono o trabalhador deve ter pelo menos 5 anos de cadastro no PIS/PASEP, ter trabalhado pelo menos 30 dias em 2013 com carteira assinada ou por nomeação no serviço público e ter recebido em média até 2 salários mínimos por mês. O pagamento do PIS é feito pela Caixa Econômica Federal e o do PASEP pelo Banco do Brasil. O trabalhador pode sacar o dinheiro nas lotéricas com o Cartão Cidadão. Esta terça-feira, 15 de julho de 2014, é o primeiro dia de pagamento do abono. Até outubro, a maioria das pessoas deve receber o dinheiro. O prazo final vai até junho do ano que vem.

Para consultar o PASEP ligue 4004-0001, 0800-729-0001 ou 0800-729-0088 (para pessoas com deficiência). Para consultar o PIS ligue 0800-726-0207.

Significado: saiba o que é PIS/PASEP

PIS PASEP é a sigla do Programa de Integração Social e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP), que são contribuições sociais, devida pelas empresas. O PIS PASEP é um número cadastrado no cartão de CNPJ, ou no documento de cadastro do trabalhador.

O PIS PASEP tem o objetivo de financiar o pagamento do seguro-desemprego, abono e participação na receita dos órgãos e entidades, tanto para os trabalhadores de empresas públicas, como privadas. O PIS PASEP é também uma espécie de segurança do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

O PIS/PASEP é também um programa de complementação de renda do governo, que existe desde a constituição de 1988. O rendimento do PIS pode ser sacado todos os anos, mas apenas em casos específicos, como aposentadoria, morte ou doenças graves, casamento não é um motivo suficiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *