História de vida e superação em “Minha Corrida” – Mara Okiyama

Mara Carla de Oliveira Okiyama tem bons motivos para comemorar cada chegada ao término de uma corrida. Persistente, Mara correu atrás de uma vida saudável e chegou lá. É ela quem nos conta sua história de luta e superação. Participe! Mande você também a sua história para: blogdecorrida@gmail.com

Por Mara Carla de Oliveira Okiyama

Minha história de amor com a corrida começou em 2011 depois de um processo grande de emagrecimento após longos anos de sedentarismo e alimentação incorreta.
Quando meu filho mais velho estava com 3 anos de idade percebi que estava ficando muito cansada pelo simples fato de agachar para brincar com ele. Foi aí que resolvi tomar uma atitude e emagrecer. Comecei o processo e perdi 15 kg, estava feliz, mas com o corpo muito flácido e queria muito fazer uma lipoaspiração. Meu marido não deixou e ainda disse que se eu quisesse perder a barriga de verdade que começasse a correr (ele é militar e me ensinou a correr).
No começo não conseguia correr nem 40 segundos e achava que iria morrer! Mas aos poucos fui evoluindo e no meio do ano já tinha feito minha primeira prova de 5 km! Logo fiz 10 km e a vontade de correr mais só foi crescendo. Consegui emagrecer ao todo 27 kg.
Mas, no começo de 2012 eu engravidei de novo e então voltei a engordar. Foram 20 kg na segunda gestação… Parei de correr e não emagreci nada após a gravidez. Quando o bebê parou de mamar (no meio do ano de 2013) voltei pra academia, musculação e novamente pra reeducação alimentar, mas ainda estava muito pesada pra correr. Só no final de 2013 que me inscrevi novamente para uma prova de 5 km, que terminei em 32′.
De lá pra cá não parei mais: já perdi as contas de quantas corridas de 5 e 10 km fiz. Minha maior superação foi completar 2 meias maratonas e o projeto para este ano de 2017 é aumentar o número de meias maratonas no meu Curriculum.

É muito bom descobrir que você sozinha pode alcançar seus sonhos e se desafiar cada vez mais em busca de outros sonhos. ;)

“Minha Corrida”, a história do Diego Almeida

A história do Diego Almeida, 34 anos, de São Paulo é mais um belo caso de superação através da corrida. Vencer o sedentarismo e o costume de não praticar exercícios foi seu maior obstáculo.  Com o apoio da família, ele mudou essa realidade. Veja como Diego deu a volta por cima em busca da felicidade. Participe! Mande você também a sua história para: blogdecorrida@gmail.com

Por Diego Almeida

Em Novembro de 2015 eu pesava 94Kg, meu colesterol estava nas alturas e o sedentarismo me consumia cada dia mais, além de não estar satisfeito com o que via no espelho.

Precisava fazer alguma coisa pra me sentir melhor. Resolvi praticar corrida e me apaixonei pelo esporte. Precisava melhorar meu condicionamento, meu tempo, meu corpo, minha vida. Por indicação de amigos, procurei o professor Renato Rodrigues do Centro de treinamento funciona HAKA, que me ouviu e se dispôs a me ajudar. Tudo o que eu planejei nesse um ano eu alcancei, graças aos treinos e ensinamentos adquiridos nesse período. Realizei várias corridas de rua, inclusive a temida corrida de obstáculos Bravus Race, eliminei 14Kg, a saúde está em perfeitas condições e estou sorrindo na minha primeira corrida de São Silvestre.

Agora eu quero mais, sempre mais e continuo em 2017 com os treinos, planejando minha primeira maratona. Se vai ser possível? Tenho certeza que sim. Encontrei meu caminho e estou feliz assim!

Alexandre “Louco da Madrugada” Andrade

Ele parou de secar o copo e secou o corpo.

Conversei com o motoboy Alexandre Andrade, que pesava 148 kg e emagreceu 48 kg desde que largou a vida sedentária e começou a correr. Por falta de tempo, Alexandre acorda as 3h30 da manhã para iniciar os treinos, o que rendeu o apelido de Louco da Madrugada. O apoio da esposa Luciana e das filhas Mariana (16), Gabrielhe (14) e Emily (12) foi fundamental para sua mudança de vida.

Confira nosso bate-bapo nos áudios abaixo.

Blog de Corrida: Como foi essa história de deixar de secar o copo e começar a secar o corpo?

Blog de Corrida: Conta como é a sua rotina de treinos. Você acorda todos os dias as 3:30 para correr? Corre quanto? Come antes de sair?

Blog de Corrida: E teus treinos costumam ser de quantos Km? Não é perigoso correr na madruga? Nunca aconteceu nada?

Blog de Corrida: E aquele sinal de silêncio, com o dedo na boca, que está virando marca registrada, veio da onde?

Alexandre Andrade: Sempre faço o sinal do silêncio, pois eu corro sempre de madrugada e este gesto é característica de não fazer barulho para que não acordem os que dormem…

 

Corrida Wings for Life World Run Florianópolis 2014 – Brasil

corrida-wings-for-life-world-run-florianopolis-brasil-2014

WINGS FOR LIFE WORLD RUN: 04/05/2014, FLORIANÓPOLIS, 7:00.

UMA CORRIDA MUNDIAL PELA CURA DE LESÕES NA MEDULA ESPINHAL.

Florianópolis vai ser sede no Brasil de uma das corridas mais espetaculares do mundo, e que acontece simultaneamente em várias partes do planeta por uma causa muito nobre: a pesquisa para a cura de lesões na medula espinhal. O Wings for Life World Run é uma modalidade de evento nunca vista ou realizada de nenhuma forma no atletismo ou em outro campo do esporte. É um evento de aventura global, envolvendo mais de 40 locais, em que todo mundo corre exatamente ao mesmo tempo. E 100% de tudo o que for gerado no evento será revertido para a fundação Wings for Life, que financia a pesquisa para a cura das lesões de medula. A prova vai unir atletas de todo o mundo, em uma corrida em apoio aos que não podem correr. Os atletas largam e após 30 minutos o carro seguidor sai atrás dos corredores. Cada vez que ele alcançar uma pessoa, a corrida termina para ela. O último a ser alcançado será o campeão, e o último do mundo todo será coroado o campeão mundial da corrida Wings For Life World Run. Para saber de todos os detalhes e se inscrever, acesse o site aqui! Uma ótima corrida!

corrida-mundial-cura-lesoes-medula

Visite também o site da história de uma síndrome de down que foi corredora na adolescência: acesse www.afilha.com.br.

 

Corrida Tough Mudder

Provavelmente a corrida mais árdua do planeta

Sim, este é o slogan da Tough Mudder. Trata-se de uma corrida de obstáculos, envolvendo água congelante, fios conduzindo 10.000 volts de eletricidade e MUITA lama. Além disso, há também paredes de escalada, saltos de grandes alturas e trechos com grande inclinação. Tudo em um percurso que varia de 10 a 12 milhas, dependendo do local. Como os idealizadores do evento ressaltam, “Não é uma corrida, é um desafio”, projetado pelas Forças Especiais Britânicas. Na chegada, há música ao vivo e muita comemoração. A corrida já ocorre em diversos países, incluindo México, EUA e Canadá. Para mais informações e localizações, clique aqui.

Corrida Maratona da Disney

1/2 Maratona + Maratona Disney: 6 a 9 JAN / EUA

Teinho e Zé na parte mais fácil: com a medalha no peito

Um dos grandes desafios para quem corre é encarar a Maratona! Os 42 km são um marco na vida de um corredor. Mas uns amigões nossos não se contentaram com os 42 km e se inscreveram para o Desafio do Pateta, que é correr a meia-maratona em um dia e a maratona no outro, dentro dos parques da Disney, em Orlando, na Flórida. Foram meses de treinamento, onde Odson “Teinho” Machado e JoséZé” Roberto Filho viraram irmãos, com muita determinação e companheirismo. Márcio Maturano, o terceiro integrante brazuca do desafio, também chegou muito bem. Aliás, eles não apenas completaram a prova como fizeram a maratona abaixo das 4h! Os treinos aqui em Florianópolis envolveram a todos, pois acabou se formando uma corrente de apoio para os dois. Húrsula Fortkamp, esposa de Teinho que acompanhou a turma correndo também a meia-maratona, deixa seu recado: “Fica a lição: devemos sempre insistir nos nossos sonhos. Bealive it !”.

Corrida na esteira da fisioterapia

Primeira corrida em 100 dias!

Após 100 dias parado e imobilizado na lesão do Mountain Do Lagoa da Conceição, 15 sessões de fisio (faltando 5 para completar o total), iniciei corrida leve. A corrida de 18 minutos na esteira, intercalando sempre entre 1 de caminhada e 2 de corrida, foi comemorada como um grande prêmio. Botei como meta voltar a correr em janeiro e alcancei. Agradeço imensamente a minhas fisioterapeutas aí­ embaixo.

Thais e Geane, competentes e positivas para minha volta à corrida

Corrida começa com caminhada

Adaptação para próximas corridas

Corrida passo a passo

Estou completando 60 dias sem correr, após romper os ligamentos do tornozelo na última corrida Mountain Do de Floripa. Foram 50 dias de imobilização total, zero de exercí­cios e 2,5 kg a mais. Iniciei fisioterapia e quero muito retornar a correr em janeiro. Mas, infelizmente, a gente nao manda na velocidade de nossa recuperação. É esperar para ver. Enquanto isso, aproveito para fazer uma homenagem aos médicos ortopedistas em geral (e ao Dr. Renan em particular) e a todos os santos fisioterapeutas (e ao esforço da Thaysa em me recuperar), a todos que tanto têm auxiliado na minha recuperação, incluindo obviamente o esforço da minha esposa Ana e os cuidados e paciência de meus filhos. E, só para lembrar quem também está se recuperando: antes de correr é preciso reaprender a caminhar! A gente esquece que não nasceu sabendo e que um dia teve que aprender até isso. Agora é hora de recomeçar, com um passo de cada vez. Foi dado o primeiro passo!

Pós-corrida Mountain Do 2010

Assinatura dos filhos deixa a dor em segundo plano.

Entrei com o pé esquerdo na prova

 

Na corrida Mountain Do 2010 fiquei com o último trecho do revezamento, com a responsabilidade de fechar a prova. É um trecho lindo, que conheço bem, pois já havia feito em outra prova. Mas dessa vez foi diferente. Pisei na ponta de uma pedra já no primeiro km e rompi os ligamentos. Mal conseguia botar o pé no chão, mas aos poucos consegui caminhar e depois voltar a correr, lentamente, apenas para concluir a prova. Dos 12 km, foram 11 km de muito sofrimento. Pensava sempre que cada um da equipe havia feito seu melhor para ganhar tempo e que eu estaria botando a perder com aquela lesão. Na chegada, bastante sofrido e desgastado, fui surpreendido pela compreensão da equipe. Foi um grande aprendizado, uma aula de companheirismo e solidariedade.

Ironman Brasil Floripa 2010

Com boa estrutura, público presente também dá show!

 

Saiu o post Ironman Floripa! O dia da prova ajudou. Estava muito bonito, mas nublado. O que não desgastou tanto os atletas. A largada, na natação, foi um pouco prejudicada devido a forte corrente do mar. Muitos atletas optaram por correr um trecho mais adiante e largar com a ajuda da corrente. A transição para as bikes foi tranquila, todos os atletas pedalavam muito forte nos quilômetros de arrancada, tipo 40 km+. Veja o ví­deo.