História de vida e superação em “Minha Corrida” – Mara Okiyama

Mara Carla de Oliveira Okiyama tem bons motivos para comemorar cada chegada ao término de uma corrida. Persistente, Mara correu atrás de uma vida saudável e chegou lá. É ela quem nos conta sua história de luta e superação. Participe! Mande você também a sua história para: blogdecorrida@gmail.com

Por Mara Carla de Oliveira Okiyama

Continuar lendo

“Minha Corrida”, a história do Diego Almeida

A história do Diego Almeida, 34 anos, de São Paulo é mais um belo caso de superação através da corrida. Vencer o sedentarismo e o costume de não praticar exercícios foi seu maior obstáculo.  Com o apoio da família, ele mudou essa realidade. Veja como Diego deu a volta por cima em busca da felicidade. Participe! Mande você também a sua história para: blogdecorrida@gmail.com

Por Diego Almeida

Em Novembro de 2015 eu pesava 94Kg, meu colesterol estava nas alturas e o sedentarismo me consumia cada dia mais, além de não estar satisfeito com o que via no espelho. Precisava fazer alguma coisa pra me sentir melhor.

Basta de sedentarismo

Resolvi praticar corrida e me apaixonei pelo esporte. Precisava melhorar meu condicionamento, meu tempo, meu corpo, minha vida. Por indicação de amigos, procurei o professor Renato Rodrigues do Centro de treinamento funciona HAKA, que me ouviu e se dispôs a me ajudar. Tudo o que eu planejei nesse um ano eu alcancei, graças aos treinos e ensinamentos adquiridos nesse período. Realizei várias corridas de rua, inclusive a temida corrida de obstáculos Bravus Race, eliminei 14Kg, a saúde está em perfeitas condições e estou sorrindo na minha primeira corrida de São Silvestre. Quando foquei em minha corrida pela vida, deixei o sedentarismo para traz.

Minha vida corrida

Agora eu quero mais, sempre mais e continuo em 2017 com os treinos, planejando minha primeira maratona. Se vai ser possível? Tenho certeza que sim. Encontrei meu caminho e estou feliz assim. Minha vida mudou completamente quando cortei hábitos ruins e troquei por uma atitude e postura mais saudável. Me sinto outro pessoa, mais leve de corpo e alma, mais disposto para todos os desafios que se apresentam. Se você também tem problema de peso e saúde por má alimentação ou sedentarismo, recomendo rever suas atitudes. Tenho certeza que você irá lucrar muito se entrar nessa corrida contra o sedentarismo e por hábitos mais saudáveis.

Alexandre “Louco da Madrugada” Andrade

Ele parou de secar o copo e secou o corpo

Acompanhe essa história incrível em Minha Corrida. Descubra como esse cara mudou completamente seus hábitos, largando o sedentarismo e a bebida para ter uma vida mais saudável e produtiva.

louco madrugada corrida

Entrevista Louco da Madrugada

Conversei com o motoboy Alexandre Andrade, que pesava 148 kg e emagreceu 48 kg desde que largou a vida sedentária e começou a correr. Por falta de tempo, Alexandre acorda as 3h30 da manhã para iniciar os treinos. Foi isso o que rendeu o apelido de Louco da Madrugada. O apoio da esposa Luciana e das filhas Mariana (16), Gabrielhe (14) e Emily (12) foi fundamental para sua mudança de vida.

Hábitos saudáveis

Com certeza sua persistência e devoção aos hábitos saudáveis servem como exemplo para que outras pessoas tenham condições de mudar suas vidas para muito melhor. É o que Alexandre Louco da Madrugada passou a incentivar. A cada contato com novos conhecidos em suas andanças e corridas de rua pelo Brasil ele repassa seu aprendizado Aliás, louco ele deveria ser antes, quando pesava quase 150 kg. Agora, tudo indica que de louco ele não tem nada. Sobra saúde e alto astral nesse cara que mudou de vida. Confira a entrevista e boas corridas!

Confira nosso bate-bapo nos áudios abaixo.

Blog de Corrida: Como foi essa história de deixar de secar o copo e começar a secar o corpo?

Blog de Corrida: Conta como é a sua rotina de treinos. Você acorda todos os dias as 3:30 para correr? Corre quanto? Come antes de sair?

Blog de Corrida: E teus treinos costumam ser de quantos Km? Não é perigoso correr na madruga? Nunca aconteceu nada?

Blog de Corrida: E aquele sinal de silêncio, com o dedo na boca, que está virando marca registrada, veio da onde?

Alexandre Andrade: Sempre faço o sinal do silêncio, pois eu corro sempre de madrugada e este gesto é característica de não fazer barulho para que não acordem os que dormem…

Corrida Wings for Life World Run Florianópolis 2014 – Brasil

corrida-wings-for-life-world-run-florianopolis-brasil-2014

WINGS FOR LIFE WORLD RUN: 04/05/2014, FLORIANÓPOLIS, 7:00.

UMA CORRIDA MUNDIAL PELA CURA DE LESÕES NA MEDULA ESPINHAL.

Florianópolis vai ser sede no Brasil de uma das corridas mais espetaculares do mundo, e que acontece simultaneamente em várias partes do planeta por uma causa muito nobre: a pesquisa para a cura de lesões na medula espinhal. O Wings for Life World Run é uma modalidade de evento nunca vista ou realizada de nenhuma forma no atletismo ou em outro campo do esporte. É um evento de aventura global, envolvendo mais de 40 locais, em que todo mundo corre exatamente ao mesmo tempo. E 100% de tudo o que for gerado no evento será revertido para a fundação Wings for Life, que financia a pesquisa para a cura das lesões de medula. A prova vai unir atletas de todo o mundo, em uma corrida em apoio aos que não podem correr. Os atletas largam e após 30 minutos o carro seguidor sai atrás dos corredores. Cada vez que ele alcançar uma pessoa, a corrida termina para ela. O último a ser alcançado será o campeão, e o último do mundo todo será coroado o campeão mundial da corrida Wings For Life World Run. Para saber de todos os detalhes e se inscrever, acesse o site aqui! Uma ótima corrida!

corrida-mundial-cura-lesoes-medula

Visite também o site da história de uma síndrome de down que foi corredora na adolescência: acesse www.afilha.com.br.

 

Corrida Tough Mudder

Provavelmente a corrida mais árdua do planeta

Sim, este é o slogan da Tough Mudder. Trata-se de uma corrida de obstáculos, envolvendo água congelante, fios conduzindo 10.000 volts de eletricidade e MUITA lama. Além disso, há também paredes de escalada, saltos de grandes alturas e trechos com grande inclinação. Tudo em um percurso que varia de 10 a 12 milhas, dependendo do local. Como os idealizadores do evento ressaltam, “Não é uma corrida, é um desafio”, projetado pelas Forças Especiais Britânicas. Na chegada, há música ao vivo e muita comemoração. A corrida já ocorre em diversos países, incluindo México, EUA e Canadá. Para mais informações e localizações, clique aqui.

Corrida Maratona da Disney

1/2 Maratona + Maratona Disney: 6 a 9 JAN / EUA

Teinho e Zé na parte mais fácil: com a medalha no peito

Um dos grandes desafios para quem corre é encarar a Maratona! Os 42 km são um marco na vida de um corredor. Mas uns amigões nossos não se contentaram com os 42 km e se inscreveram para o Desafio do Pateta, que é correr a meia-maratona em um dia e a maratona no outro, dentro dos parques da Disney, em Orlando, na Flórida. Foram meses de treinamento, onde Odson “Teinho” Machado e JoséZé” Roberto Filho viraram irmãos, com muita determinação e companheirismo. Márcio Maturano, o terceiro integrante brazuca do desafio, também chegou muito bem. Aliás, eles não apenas completaram a prova como fizeram a maratona abaixo das 4h! Os treinos aqui em Florianópolis envolveram a todos, pois acabou se formando uma corrente de apoio para os dois. Húrsula Fortkamp, esposa de Teinho que acompanhou a turma correndo também a meia-maratona, deixa seu recado: “Fica a lição: devemos sempre insistir nos nossos sonhos. Bealive it !”.

Corrida na esteira da fisioterapia

Primeira corrida em 100 dias!

Após 100 dias parado e imobilizado na lesão do Mountain Do Lagoa da Conceição, 15 sessões de fisio (faltando 5 para completar o total), iniciei corrida leve. A corrida de 18 minutos na esteira, intercalando sempre entre 1 de caminhada e 2 de corrida, foi comemorada como um grande prêmio. Botei como meta voltar a correr em janeiro e alcancei. Agradeço imensamente a minhas fisioterapeutas aí­ embaixo.

Thais e Geane, competentes e positivas para minha volta à corrida

Corrida começa com caminhada

Adaptação para próximas corridas

Corrida passo a passo

Estou completando 60 dias sem correr, após romper os ligamentos do tornozelo na última corrida Mountain Do de Floripa. Foram 50 dias de imobilização total, zero de exercí­cios e 2,5 kg a mais. Iniciei fisioterapia e quero muito retornar a correr em janeiro. Mas, infelizmente, a gente nao manda na velocidade de nossa recuperação. É esperar para ver. Enquanto isso, aproveito para fazer uma homenagem aos médicos ortopedistas em geral (e ao Dr. Renan em particular) e a todos os santos fisioterapeutas (e ao esforço da Thaysa em me recuperar), a todos que tanto têm auxiliado na minha recuperação, incluindo obviamente o esforço da minha esposa Ana e os cuidados e paciência de meus filhos. E, só para lembrar quem também está se recuperando: antes de correr é preciso reaprender a caminhar! A gente esquece que não nasceu sabendo e que um dia teve que aprender até isso. Agora é hora de recomeçar, com um passo de cada vez. Foi dado o primeiro passo!

Pós-corrida Mountain Do 2010

Assinatura dos filhos deixa a dor em segundo plano.

Entrei com o pé esquerdo na prova

 

Na corrida Mountain Do 2010 fiquei com o último trecho do revezamento, com a responsabilidade de fechar a prova. É um trecho lindo, que conheço bem, pois já havia feito em outra prova. Mas dessa vez foi diferente. Pisei na ponta de uma pedra já no primeiro km e rompi os ligamentos. Mal conseguia botar o pé no chão, mas aos poucos consegui caminhar e depois voltar a correr, lentamente, apenas para concluir a prova. Dos 12 km, foram 11 km de muito sofrimento. Pensava sempre que cada um da equipe havia feito seu melhor para ganhar tempo e que eu estaria botando a perder com aquela lesão. Na chegada, bastante sofrido e desgastado, fui surpreendido pela compreensão da equipe. Foi um grande aprendizado, uma aula de companheirismo e solidariedade.

Ironman Brasil Floripa 2010

Com boa estrutura, público presente também dá show!

 

Saiu o post Ironman Floripa! O dia da prova ajudou. Estava muito bonito, mas nublado. O que não desgastou tanto os atletas. A largada, na natação, foi um pouco prejudicada devido a forte corrente do mar. Muitos atletas optaram por correr um trecho mais adiante e largar com a ajuda da corrente. A transição para as bikes foi tranquila, todos os atletas pedalavam muito forte nos quilômetros de arrancada, tipo 40 km+. Veja o ví­deo.